RAW VS JPG VS FILME

RAW VS JPG

É um tema antigo e muito se tem escrito sobre este tema, mas hoje vou adicionar um novo elemento, o velho filme.

É uma verdade que nos dias de hoje a fotografia digital possui avanços tecnológicos  fantásticos  muito mais sistemas para a captura e edição.

Ferramentas e filtros poderosos e ajustes posteriores à captura da imagem que vão muito além do simples click.

Mas isto leva-me a pensar que muito do conhecimento técnico do antigamente, foi por todos estes avanços tornado secundário e para ser bom fotógrafo a maioria das vezes não é necessário ter conhecimento como fotógrafo, mas sim saber e poder garantir imagens de elevada qualidade, sejam elas captadas ou editadas.

Há 30 anos atrás a fotografia tradicional ou como alguns lhe chamam, a fotografia analógica requeria do fotógrafo um conhecimento profundo para se obter imagens de qualidade antes do click.

o Fotógrafo compunha na sua cabeça a fotografia e conseguia visualizá-la muito antes do tradicional bater do espelho se ouvir.

Nos dias de hoje o digital em RAW, permite uma ampla gama de ajustes potenciando as fotografias a limites nunca antes vistos.

E mesmo o filme convencional ou analógico depois de digitalizado pode ser finalizado no processo digital com ajustes que vão muito mais além das afinações clássicas que eram usadas nos laboratórios fotográficos.

E com isto não quero dizer que sou um anti digital, até porque o digital, da mesma forma quando bem registrado revela imagens fantásticas com os mesmo ajustes simples, mas na grande maioria das vezes os registros são pobres e pouco estruturados pela falta de conhecimento técnico, mas valorizados pelas possibilidades do pós click, sendo o fotógrafo um elemento secundário em todo o processo.

O sistema no modo RAW é um bom exemplo, pois muitos acreditam ser de extremo profissionalismo quando na verdade é processo mais fácil de registro onde quase todos os erros são corrigidos com satisfação em pós processamento. O RAW quando bem compreendido e tecnicamente usado é fonte de arquivos de alta qualidade, entretanto, usado como referência de profissionalismo, mas sem a essência do conhecimento de fato.

Existem já agências a proibir o uso do RAW, como a Reuters que defende que o uso do RAW, é um elemento que é potenciador de alterações da forma como realmente as fotografias são captadas.

Caminharemos realmente para mais pós produção e menos técnica na fotografia?

Se hoje no mercado ainda pudéssemos  encontrar filmes profissionais e laboratórios com o processo de revelação dos filmes monitorados obedecendo a um padrão técnico de qualidade, com certeza, eu usaria muito mais filmes!!!

Infelizmente por falta de volume de filmes para serem revelados, os processos estão comprometidos prejudicando a revelação dos filmes.

Lembrando que os filmes fotográficos podem ser digitalizados normalmente nos labs digitais. Com a digitalização, podemos ter o melhor da textura dos filmes com o perfil digital.

Deixo aqui esta reflexão baseada no comentário do Francisco Padilha  que eu partilho inteiramente e que foi feita a um artigo meu já publicado sobre o analógico.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPraktica MTL 3
Próximo artigoMinolta HI- MATIC F
Nascido em Lisboa, Advogado de profissão e fotógrafo de coração, com licenciatura em Direito bem como formação em Marketing e publicidade, dedica-se à fotografia, e produção de contéudos.

Deixar uma resposta