Rescaldo CES 2016

A CES 2016 que decorreu no inicio de 2016 trouxe algumas novidades, algumas previsíveis mas outras não tanto, trazemos aqui neste rescaldo em forma de artigo de opinião, alguns destaques:

Confesso que esperava na CES 2016 ver marcas como a Nikon e a Canon entrar no mercado das sem espelho de forma mais séria.

Ao invés o que vimos na CES 2016 foi no caso da Nikon, mais do mesmo, ou seja um investimento nas cameras DSLR digitais com espelho, o que na minha modesta opinião é um erro monumental da Nikon pois está claramente a lutar contra a tendência do mercado e quase de forma autista a ignorar todos os fotógrafos que estão a abandonar a marca e a começar a ir para equipamentos de marca Sony ou Panasonic e Olympus.

E sobre esta matéria quero ainda acrescentar o seguinte, todas as indicações de mercado apontam que apenas alguns fabricantes irão singrar no mercado das cameras fotográficas, pois cada vez mais o mercado de consumo de fotografias migra para a fotografia com equipamentos telefónicos, e aqui as marcas tradicionais de fotografia terão de se adaptar, criando equipamentos que façam a diferença e que sejam uma mais valia de transportar, leves e de elevada qualidade no seu desempenho.

Quanto ao mercado de fotografia para fotógrafos entusiastas e profissionais, quero dizer o seguinte o inicio dos anos 2000 e a primeira década os fotógrafos entusiastas, avançados e até profissionais, tinham aquela velha máxima “bigger is better”, algo muito “macho”, preferindo cameras grandes, pesadas, equipamentos que os distinguiam dos demais, ou seja eu sou outro nível.

Mas o paradigma mudou com  a linha das Mirrorless, e aquela velha história que um visor analógico vai ser sempre melhor que um visor digital começou a mudar com a Sony e a sua linha A7.

E esta é a tendência que fabricantes tradicionais como a Canon e a Nikon, devem seguir, não querendo com isto dizer que devem esquecer por completo as DSLR, mas sim orientá-las para um nicho de mercado de forma gradual.

Aliás já em 2013, há 3 anos que um analista do mercado de imagem dizia sobre este mercado que num curto espaço de tempo apenas aqueles que tivessem uma grande marca, e se soubessem posicionar no mercado iriam subsistir, e ele, mais concretamente Yu Yoshida do Credit Suisse disse à Reuters, que esses fabricantes seriam a Sony, a Canon e a Nikon, e sobre isto que estou a dizer vejam o abandono da Samsung do mercado das câmeras digitais, que foi a grande ausência na CES.

Mas vejamos o que a Nikon apresentou na CES foi a expectável D5, no segmento das FX, que todos nós já antecipávamos que fosse acontecer, e a D500, no segmento das DX, aqui sim uma novidade pois é a sucessora da saudosa gama 300 e 300s, no o entanto a Nikon, aqui e bem a meu ver distanciou-se da guerra dos mega pixéis, mas entrou na guerra dos elevados ISO, uma aposta certa no meu entendimento, mas questionável quanto à viabilidade, e aqui refiro-me uma vez mais na aposta da tecnologia com espelho.

D5-front
Nikon D5
Nikon D500
Nikon D500

 

 

 

 

 

 

Para além disso a Nikon por sua vez tentou entrar no mercado das câmeras de ação tentando ir buscar uma fatia de mercado às GO PRO com a apresentação da Keymission 360, seguramente uma boa aposta, mas a Nikon terá um longo processo de aproximação a embaixadores, e promotores como bloggers, o que na minha opinião não é algo que a Nikon esteja habrituada a fazer, tendo demonstrado nos últimos tempos em termos de marketing uma empresa muito fechada e pouco aberta a conceitos inovadores de modo a se promover e chegar perto do público.

Keymission 360
Keymission 360

Para além disso a Nikon apresentou um flash o SB-5000 que se caracteriza por ser o primeiro flahs em rádio frequência da marca.

Já a Canon, esta não esperou a CES 2016 para fazer grandes revelações.

As revelações foram feitas na Canon Expo, local onde habitualmente a Canon faz as duas apresentações mais relevantes, ainda assim a marca para além de ter apresentado a sua gama já conhecida não quis de trazer duas novidades à CES 2016 nomeadamente as Powershot SX 540HS e a Powershot SX 420IS

Powershot SX 540HS e a Powershot SX 420IS
Powershot SX 540HS e a Powershot SX 420IS

Já a Olympus, brindou-nos com uma lente zoom de categoria profissional  M. ZUIKO PRO, que a marca define como a zoom mais compacta versátil e estável do mundo.

Mas apresentou também a Tough.

E aqui a Olympus vai na direção certa daquilo que comecei por dizer no inicio deste artigo quando me referia que as marcas de equipamento fotográfico devem criar o seu próprio mercado se quiserem combater o mercado exponencial de consumo de fotografia, que neste momento diverge para o mercado dos fabricantes de smartphones.

Olympus Tough
Olympus Tough

A Tough, é uma câmera com um mercado especifico focada num público-alvo bem definido e com características particulares que a tornam única.

Já a Panasonic, na sua gama Lumix apresentou a TZ 80 e a TZ 100, esta ultima que destacamos por ser uma mirrorless, compacta, diria mesmo muito compacta com capacidade 4K e que vai ser a grande concorrente da Sony RX100, pelo menos em termos de preço, pois com um target price de 699 USD, é um modelo a ter em atenção certamente.

panasonic_dmc_zs100_digital_camera_1211983
Lumix TZ 100

Já a Sony, esta tem vindo a fazer lançamentos sucessivos ao longo de 2015, preferindo não aguardar pela CES 2016 para apresentar as suas “flagships”, a Sony, tal como a Canon é daquelas marcas que apostam e a meu ver, muito bem numa comunicação eficaz com os media direcionando os lançamentos de forma eficaz com o público e claro está apostando num marketing directo, quer com os profissionais, quer com os veículos de comunicação que a podem promover.

Ainda assim a Sony na CES de 2016 apresentou na gama de  Action Cams, que tivemos oportunidade de já testar o modelo AS200V  um novo modelo, a gama vai ser alargada com a nova HDR-AS50R, fornecida juntamente com o telecomando Live-View. Agora com novos controlos intuitivos, este telecomando oferece-lhe total controlo sobre a sua Action Cam a longa distância, incluindo as suas funções de alimentação. As novas funções deste modelo incluem os efeitos time lapse 4K*2 e a capacidade de captação subaquática até 60 metros de profundidade, quando utilizada com a caixa estanque incluída na embalagem. No conjunto, esta nova Action Cam torna mais fácil a captação de vídeos de elevada qualidade para atividades desportivas e de lazer e produz mais recordações memoráveis que nunca.

Imagem pertencente a : www.pocket-lint.com
Imagem pertencente a : www.pocket-lint.com

*2: Criada através da união de duas fotografias consecutivas captadas pela câmara a intervalos fixos, utilizando um software de edição como o Action Cam Movie Creator ver. 5.1 ou posterior (disponível em janeiro de 2016).