Como escolher um flash externo

flash externo

Neste dicas e conselhos vou aconselhar em como podem escolher um bom flash externo para a sua câmera.

Em primeiro lugar antes do impulso da compra devem-se perguntar o seguinte:

Eu preciso de um flash externo? Se a resposta for sim devem fazer a seguinte pergunta e para que tipo de fotografia.

Se sua resposta for “Sim, eu preciso de um flash externo, porque eu não estou satisfeito com os resultados do flash integrado na minha câmera” então bem-vindo ao clube. Muitos fotógrafos iniciantes e amadores sofrem das desvantagens dos flash’s que são integrados nas DSLR’s. Algumas das limitações são:

  • Normalmente, eles produzem o famoso efeito de olhos vermelhos indesejado.
  • O tipo de luz direta torna-se muito dura, e sempre na mesma direção que a câmera.
  • A maioria das câmeras não permitem que controle a intensidade da luz do flash embutido.
  • O flash integrado tem tipicamente menos energia e não é capaz de iluminar grandes áreas.
  • Se tiver reconhecido estes constrangimentos então sim, precisa de um bom flash externo. Mas qual e como escolher?

O mercado oferece uma ampla gama de flashes externos, alguns com preços muito competitivos e com muita qualidade.

Agora vamos então ao que interessa como escolher então o flash externo:

1- Defina um orçamento máximo.
2- Para que quer o flash exatamente? Que é para obter boas fotografias, todos sabemos, e porque você não está satisfeito com o atual também, mas dependendo de como você vai responder. pode variar o tipo de flash que quer comprar. Por exemplo, se tudo que precisa é adicionar um pouco de luz para iluminar o seu retrato em pequenas áreas de sombras no rosto do sujeito, um flash com uma potência  mínima ou média o será suficiente. Se em vez disso precisar de uma boa iluminação para um grupo de pessoas no exterior, então vai precisar de um flash de alta potência.

Primeiro, vamos olhar para o número guia. O número de guia em termos práticos significa a potência de saída do flash, nem mais nem menos. Por isso, ao comparar um flash com um outro, um aspecto importante que terá de avaliar é o poder que você precisa do flash. Quanto maior o numero guia maior o preço e mais luz. Fácil.
E como vai saber se  vai precisar de mais ou menos energia? Simples, se quiser fotografar perto de uma pessoa numa sala não muito grande, provavelmente não precisa de muito poder de saída. Se em vez disso, quiser fotografar no interior de uma catedral precisa de um flash com muito mais poder, porque a área a ser iluminada é muito mais ampla.

A segunda coisa que vamos olhar é a “Taxa de Reciclagem”: Se fotografar duas fotografias com flash, o seu flash vai precisar de tempo para recuperar ou seja para voltar a ter energia suficiente para disparar. Esse tempo é a taxa de reciclagem. A maioria dos fotógrafos iniciantes e amadores isso não é um problema. No entanto alguns profissionais que fotografam imagens muito rapidamente não podem se dar ao luxo de esperar 3 segundos entre um disparo e outro até que o flash esteja pronto. Na maioria dos casos, é muito provável que isso seja irrelevante.

Tipo de Conexão:

Acoplado sobre o corpo da câmara.
Ligado à câmara através de um cabo.
Ativação sem cabo.2015_8_3 19_44_172
No mercado há flashes com uma dessas opções, com duas, e até mesmo alguns que oferecem as três opções.

O normal para um fotógrafo iniciado e amador é um flash externo que ligue a câmera, no suporte da câmera para flash. Mas já que vai investir o dinheiro  num flash  deve saber as outras duas maneiras  para saber se vai ou não precisar no futuro.

Alguns flashes têm a capacidade de articular para cima. Isso permite-nos direcionar a luz do flash para o teto da sala ou salão e fazer saltar a luz do flash no teto e refletido no rosto de nosso modelo. Normalmente, um retrato com luz “rebatida” é muito mais agradável pois a luz rebatida é mais suave e mais agradável do que a luz do flash enviada diretamente para o modelo.2015_8_3 19_44_472

Outros permitem também rodar para a direita e para a esquerda: É o que acima descrevemos em relação à luz rebatida mas desta vez  para os lados. Às vezes, estamos perto de uma parede lateral e queremos rebater a luz da parede e não no teto. Uma luz muito mais suave. O mesmo resultado acima é obtido. Mas com luz lateral.

Controlo do Flash

Flash

Controlo manual e automático

É importante saber se nós escolhermos um flash que oferece somente o controlo manual ou automático também. Se quiser usá-lo de forma fácil e sem problemas um automático será certamente o mais acertado para si, mas se quiser intervir nos ajustes, aprender o mecanismo e começar a controlar com o objectivo de de obter a imagem que idealizou na sua cabeça com a quantidade exata de luz, então o seu flash terá de oferecer controlos manuais.

Bem se leu tudo isto está levando isto muito a sério e quer mesmo comprar um flash Estou mesmo a terminar.

Neste momento já deve deve ter mais ou menos em mente as características do flash que  precisa, mas falta resposta a uma última pergunta: Qual a marca que escolher?

A resposta é simples: Você tem duas opções, ou um flash da mesma marca da sua câmera:  Nikon, Canon, Sony, etc.) ou um flash de uma marca genérica.

Quanto a esta resposta é uma questão de opção e muito pessoal, por isso termino da mesma forma que comecei, existem no mercado flash’s de marcas genéricas muito em conta e com excelentes características e vão poder ver alguns ensaios com esses mesmos flash’s aqui no site.

Espero ter ajudado a desmistificar ainda que de forma superficial o mundo dos flash’s.

Poderá gostar de ler também:

Aperlite YH500-N

Luna Grip

Esquema de iluminação com fundo preto

Modificadores de luz para fotógrafos amadores

 

 

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOld Camera preset
Próximo artigoA SÉRIE 1 DA CANON
Nascido em Lisboa, Advogado de profissão e fotógrafo de coração, com licenciatura em Direito bem como formação em Marketing e publicidade, dedica-se à fotografia, e produção de contéudos.